É sucesso que fala? Profa. Queila Lopes defende sua tese de doutorado pela Unesp – Rio Preto

Ontem, 11, a Profa. Queila Barbora Lopes defendeu sua tese de doutorado no
Programa de Pós-graduação em Estudos Linguísticos da Unesp – Campus de São José do Rio Preto, pesquisando a constituição de um banco de dados multimodal em teletandem institucional integrado e semi-integrado da Unesp – Rio Preto.

A Profa. Queila Lopes possui graduação em Letras Inglês pela Universidade Federal do Acre (1999) e mestrado em Letras- Linguagem e Identidade pela mesma instituição (2008). Atualmente é professora de Língua Inglesa, lotada no CELA – Centro de Educação Letras e Artes – da UFAC, trabalhando no curso de Licenciatura em Letras Inglês.

Desenvolve pesquisas voltadas para o ensino e aprendizagem de Língua Inglesa utilizando as tecnologias de informação e comunicação e a repercussão destas na formação dos professores, atuando como pesquisadora no Grupo de Estudos Hiperged (UFC) e no Grupo de Pesquisa História e Cultura, Linguagem, Identidade e Memória (UFAC).

Coordenou o Programa Institucional do Pibid/UFAC de 30 de julho de 2012 à 30 de julho de 2013 e o Programa Inglês sem Fronteiras na UFAC de 30 de Julho de 2013 a Janeiro de 2015. 

Quer saber mais sobre a tese? Confira o resumo!


O teletandem (TTD), contexto de aprendizagem de línguas telecolaborativo e autônomo (TELLES, 2006), desenvolvido na Unesp há mais de 12 anos, vem promovendo oportunidade de aprendizagem de línguas estrangeiras embasada na autonomia, separação de línguas e reciprocidade, princípios basilares da aprendizagem in tandem, como discutido por Brammerts (1996). Tal contexto de aprendizagem se tornou possível pela utilização das redes telemáticas que viabilizam a aprendizagem de línguas entre aprendizes que residem em países geograficamente distantes. No TTD, os aprendizes realizam sessões orais de teletandem (SOTs) e participam de sessões de mediação.  Segundo Aranha e Leone (2016; 2017) essas são macrotarefas a partir das quais ocorrem as microtarefas: produção de diários de aprendizagem, troca de textos entre os participantes, respostas aos questionários inicial e final e uso da ferramenta chat durante a SOT. Esse contexto propicia a geração de uma quantidade significativa de dados multimodais (áudio, vídeo, texto escrito) que podem ser utilizados para pesquisas diversas.  O intuito desta pesquisa é a construção de um corpuscom os dados produzidos por 112 pares no período de 2012 a 2015. Para a composição do corpus, foram utilizados os dados coletados e armazenados conforme descrito por Aranha, Luvizari-Murad e Moreno (2015) e para a  elaboração utilizei os seguintes procedimentos: a) levantamento das características de cada grupo de teletandem; b) criação de código para identificação dos parceiros; c) criação de códigos para a nomeação dos dados; d) padronização da anonimização dos dados; e) conversão dos dados para formatos compatíveis com diferentes sistemas operacionais; e f) renomeação dos dados a partir de Chanier e Wigham (2016). O MulTeC (Multimodal Teletandem Corpus) é composto por um total de 91 questionários iniciais, 41 questionários finais, 666 diários de aprendizagem, 355 chats, 921 textos produzidos na troca de texto por brasileiros e corrigidos por estadunidenses e 581 horas de gravações em vídeos, com transcrições em andamento. Após a finalização do corpus, percebeu-se a necessidade de ampliação de dados a serem coletados, incluindo a coleta da reunião tutorial e das sessões de mediação em mídia de vídeo ou áudio. 
 Palavras-chave: Teletandem; Corpus; Tarefas.